Archive for 29 de junho de 2017

Vida em comunidade

Há algum tempo, morar em casa, de uma rua determinada, propiciava a convivência entre os vizinhos, que estimulava o estreitamento de relações. Brincadeiras de rua entre as crianças, adultos com cadeiras nas calçadas e longas conversas no final da tarde. Compartilhava-se os dramas da vida, a alegria das festas, a solidariedade na doença e o luto na morte. O pertencimento era um sentimento comum nas ruas da cidade. Cada morador era parte de uma comunidade, partícipe de uma grande família. As desavenças eram mediadas sem que os elos afetivos fossem rompidos. A moradia era ocupada, por décadas, pela mesma família. A permanência no mesmo local, era estimada em gerações e gerava nas pessoas a consciência da importância de um bom convívio. » Read more

Share This:

A idosa, o jovem e o cachorro

Viviam em cidades distantes e décadas de cultivo de uma sincera amizade. A distância física não impedia a proximidade afetiva. Eventualmente viajavam para se encontrarem. Agora, a amiga mineira ia ser operada e a paulista programou-se para acompanhá-la e apoiá-la. O filho da mãe mineira, morador em terras paulistas, ofereceu carona para a longa viagem de automóvel. » Read more

Share This: