Promessa de ano novo

Com mais de setenta anos de idade, disposto e animado, aceitou o convite de um querido amigo, residente nos Estados Unidos e em passagem pelo Rio de Janeiro, para assistir as festividades da virada de ano, em um apartamento de cobertura em Copacabana. Embora não apreciasse a cidade em que viveu durante anos, a possibilidade de rever o amigo superou as restrições existentes em relação ao local. Em São Paulo, com passagens de avião esgotadas, adquiriu uma de ônibus leito para a ida, imaginando que não haveria problemas para o regresso previsto para o primeiro ou segundo dia de janeiro. » Read more

Share This:

Árvore de Natal

Os netos e agregados corriam eufóricos pela casa, e de quando em vez paravam diante da árvore enfeitada, com a curiosidade aguçada para descobrir os destinatários dos pacotes enfeitados. Divertindo-se com o alegre som da alegria, a passos lentos, ela buscou assento nas proximidades da árvore. » Read more

Share This:

Costelinha

O jovem cão, de porte médio, pelo curto, dorso preto, peito amarelo, focinho dividido entre as duas cores, apareceu na praia e fez dela seu lar. Seguia os humanos com cães na coleira, sem latir para os semelhantes, e aguardava, pacientemente, que lhe oferecessem comida. Em dias difíceis deixava a praia para encontrar cumbucas de ração e água depositadas na proximidade das portas de algumas lojas. Observava cães com donos e a atenção que recebiam, e decidiu encontrar um dono para chamar de seu. » Read more

Share This:

O desaparecimento do anarquista

Sua vida era nômade. Embarcava em diferentes navios, desaparecia da sua cidade durante o tempo da viagem. Viver para ele era não ter regras, amarras, poder gozar da liberdade em sentir e agir. Havia, no entanto, um porto seguro, os braços de uma mulher que despertara sua paixão e que aceitava esse estilo de bem viver. Ela o compreendia, como ninguém. Admirava e amava aquele belo homem e confiava no seu afeto. » Read more

Share This:

Resguardo

Final da década de 60, rosto sem maquiagem, voz doce e divertida, olhos vivos e um lindo e marcante sorriso. Roupas longas e coloridas jogadas sobre o belo corpo e rasteririnhas exibindo os pés. São essas minhas lembranças dela da época de universidade. Dele, a recordação é de uma voz potente, grave, que abria caminho, anunciando sua chegada. Educado pelas tias, sua aparência exibia o contraste entre a formalidade exibida pela roupa e o humor cáustico e transgressor. Entre eles, a forte amizade ampliou o convívio para fora do campus. » Read more

Share This:

« Older Entries